+351 284 313 100 geral.ufsalsm@gmail.com
Atividades: 25 de Abril
40 anos, 40 poemas - 40

Abril em mim, um desabafoAmargos rios nascem de espelhos na alma.Nascem por filhos perdidosNuma ditadura sem sentido.Nasce o grito da revolta de uma mãe que perdeu,Mais gritos se juntam tornando a revolta um direito seu.CHEGA DE INJUSTIÇA! BASTA DE DESIGUALDADES!O juiz tornou-se réu.Julgado por o povo…UM POVO UNIDO!Um...

40 anos, 40 poemas - 39

LiberdadeOuvem-se os gritos da revolta,E a esperança, a vontadee o tempo já não voltam!O que pedimos pela nação,é que não nos tirem a liberdade,que sobrevaleça a razão e o espírito de vontade.o povo ordena sim senhor!esta luta que tantos anos durou,desse regime ditador,é a liberdade que hoje se tornou!Hoje...

40 anos, 40 poemas - 38

Porque o Povo Diz VerdadesPorque o povo diz verdades, Tremem de medo os tiranos, Pressentindo a derrocada Da grande prisão sem grades Onde há já milhares de anos A razão vive enjaulada. Vem perto o fim do capricho Dessa nobreza postiça, Irmã gémea da preguiça, Mais...

40 anos, 40 poemas - 37

LiberdadeViemos com o peso do passado e da semente Esperar tantos anos torna tudo mais urgente e a sede de uma espera só se estanca na torrente e a sede de uma espera só se estanca na torrente Vivemos tantos anos a falar pela calada Só se pode querer tudo quando não se teve nada Só quer a...

40 anos, 40 poemas - 36

A voz do meu povoÉ da torre mais alta do meu prantoQue eu canto este meu sangueEste meu povoNessa torre maior em que apenasSou grandePor me cantar de novoCantar como quem despeA ganga da tristezaE põe a nú a espada da saudadeChama que nasce e cresceE vive e morre acesaEm plena liberdadeÉ da voz do meu povo uma...

40 anos, 40 poemas - 35

Canções Da Cidade Nova Ó navegante do mar do medoOuve um instante o meu segredo,Ó caminhante da noite friaOuve um instante minha alegria:Ao longe longe já apareceUma cidade que resplandeceAo longe longe o sol já vemEu já alcanço Jerusalém.Virá o pobre do mundo inteiroHá pão que sobre e sem dinheiroHá pão...

40 anos, 40 poemas - 34

CantareiVivi povo e multidãosofri ventos sofri marespassei sede e solidãomuitos lugaressofri países sem jeitop'r'ó meu jeito de cantarmordi penas no meu peitoe ouvi braços a gritare depois vivi o tempoem que o tempo não chegavapara se dizer o tantoque há tanto tempo se calavavivi explosões de alegriafiz-me...

40 anos, 40 poemas - 33

Adeus tristezaNa minha vida tive palmas e fracassosFui amargura feita notas e compassosAconteceu-me estar no palco atrás do panoTive a promessa de um contrato por um anoA entrevista que era boaE o meu futuro foi aquilo que se viuNa minha vida tive beijos e empurrõesEsqueci a fome num banquete de ilusõesNão entendi a...

40 anos, 40 poemas - 32

Balada do OutonoÁguas passadas do rio,Meu sono vazioNão vão acordar;Águas das fontes calaiÓ ribeiras choraiQue eu não volto a cantar.Rios que vão dar ao marDeixem meus olhos secarÁguas das fontes calaiÓ ribeiras choraiQue eu não volto a cantar.Águas do rio correndoPoentes morrendoPràs bandas do mar;Águas das...

40 anos, 40 poemas - 31

Soneto do TrabalhoDas prensas dos martelos das bigornasDas foices dos arados das charruasDas alfaias dos cascos e das dornasÉ que nasce a canção que anda nas ruas.Um povo não é livre em águas mornasNão se abre a liberdade com gazuasÀ força do teu braço é que transformasAs fábricas e as terras que são tuas.Abre...

Copyright © 2014. União das freguesias de Beja de Salvador e Santa Maria da Feira